16
Ago

A repaginada do tie-dye. Melhor do que nunca

Sem dúvidas você conhece o tie dye e, numa espécie de DIY, já deve até ter se divertido um pouco com as tintas e cores. O que talvez você ainda não saiba é que ele invadiu as grandes grifes e mais ainda, sua história é bem antiga…

Tudo começou como forma de ato politico. A década era de 1970 e a subcultura hippie, que defendia uma maior inclusão social, luta contra o racismo e comunhão com a natureza, ganhava uma maior proporção, dando vazão a personalidades como Janis Joplin e Jimi Hendrix, cujos se tornaram grandes percursores dessa tendência, que saiu do campo politico e foi parar nas passarelas.

A trend teve seu ápice na década do Woodstock, seu declínio veio nos anos 90 e nessa nova era, seu retorno. Uma repaginada tão sensível e bem trabalhada que acabou invadindo as maiores passarelas das semanas de moda, indo muito além de uma t-shirt customizada.

O conjunto de tie-dye surgiu dominante, ele apareceu em desfiles como Dries Van Noten, Pacco Rabanne e Chloe, seja em cores complementares ou em uma especie de color blocking. Combine as peças com acessórios mais pesados, como os creapers ou coturnos (aquele bem grunge), trazendo um mix de referências e culturas,o que é a cara da sociedade pós moderna. Entre as celebridades hoje adeptas temos Gigi Hadid, Kendall e Kylie Jenner, Paris Jackson, Chiara Ferragni, entre outras.

e eu, hahaha <3

O que mais chama atenção é que, dessa vez, o grafismo não aparece limitado em camisetas, caças, blusas e até ternos estão sendo confeccionados a partir dessa técnica, é só escolher aquela peça que mais combina com sua personalidade ou brincar com os conjuntos.

E aí, o que você acha do tie-dye? Comenta aí!

Até o próximo…

XOXO




Compartilhe:

0 Comentários

11
Jun

O show de horrores da Moschino!

O terror não está famoso apenas nos cinemas, com diretores de renome como Jordan Peele e Stephen King e longas premiados como ”Nós” e ”Corra”, essa tendência também dominou as passarelas, onde Jeremy Scott, apresentou uma ”assustadora” coleção na gripe italiana, Moschino. Para o estilista mais pop da cena, não há regras e dessa vez ele provou que essa teoria é real.

Talvez a temporada Cruise – ou resort – não tenha sido a melhor escolhida para apresentar a coleção que foi desfilada em Los Angeles, no Universal Studios que teve a abertura reencenando o clássico “Pânico” que conta com a participação de Drew Barrymore.

O primeiro bloco do desfile é o que menos me chama atenção, com looks que me parecem figurinos e particularmente, não me agrada muito. Já o segundo e terceiro bloco nos apresenta formas volumosas, sapatos pesados dando ênfase no corturno, além de uma homenagem aos clássicos, com personagens de O Iluminado servindo de padronagem.

Os acessórios, como sempre, dominam a passarela e são o que fazem nossa respiração ficar ofegante. Com bolsas que eu facilmente poderia afirmar terem sido feitas pelo nosso brasileiro Luan Zumbi, os acessórios são o ponto chave da coleção, mostrando todo o poder criativo de Jeremy Scott que assinou a coleção inteira.

E aí, o que vocês acharam dessa coleção? Eu já quero várias peças hahahah e como o trend setter Jeremy Scott disse ” Para nós, é Halloween o ano todo”

Comenta aí o que você achou!

Até o próximo…

XOXO

 




Compartilhe:

0 Comentários

22
Mai

5 acessórios que definitivamente serão trends nesse inverno

Em tempos onde um lado defende o resgate do clássico e o outro lado luta pela exacerbação do que é excêntrico camp (como foi o último MET gala), será comum o surgimento de trends um pouco controvérsias. Graças ao Minimalismo vs Maximalismo, cuja ‘’luta’’ parece que nenhum lado perde, as permeiam entre o que há de extravagante e elegante, trazendo duas palavras que definem muito bem essa temporada: polimento e refinação.

Portanto, guarde aquele daddy shoes tipo Balenciaga e dê espaço para o salto Mary Jane, as botas a cima do joelho e ao elegante gatinho. Por outro lado, invista naquela bolsa de ombro no estilo burguês dos anos 70, que pode ser usada transversalmente ou uma mão elegantemente cuidada como na Prada. Sim, coisa de burguês mesmo rs.

Os chapéus, nunca pareceram tão interessantes (amo o drama que carrega) e as estampas de cobra (inúmeras em versões falsa) roubam total o mood animal print e as pérolas ganham espaço e solidez, em brincos, colares e tiaras. Enfim, vamos à lista:

 

1 – BOTAS SUPER PESADAS

O estilo grunge com certeza continuará firme com os dois pés e com ele, surgem as botas pesadas e tratoradas. Com correntes, bolsos e tiras transpassadas, as botas da Prada agregam uma atitude destemida ao look, já Dries Van Noten parecia ansioso para inaugurar as botas de borracha na plataforma. Tudo muito carregado.

 

Dries Van Noten

 

Dior

 

Alexander McQueen

 

Loewe

 

2 – SALTO MARY JANE.

É exatamente esse o sapato que aparece em reação as botas grunge. O refinamento que reina através daqueles acessórios tradicionalmente femininos, ganha foco em desfiles como Dolce & Gabbana, Bottega Veneta, Dior e – meus favoritos – na Miu Miu.

Dolce & Gabbana
Hermes

 

Miu Miu

 

Maison Margiela

 

Paco Rabanne

 

3 – Os mega brincos de pérola 

Dê graças aos filmes ”A Favorita” e ”The Queen Mary of Scots” pela predominância das pérolas nas passarelas. Realmente parece que os designers só conseguiram olhar para estes filmes. Em tempos de mix de um antiquado chic, como sabiamente pontuou Costanza Pascolato à Vogue Brasil, não ia demorar muito para as pérolas extremamente barrocas voltarem a dar as caras e foi em desfiles da Chanel e Dolce & Gabbana que elas ganharam terreno.

Emilia Wickstead

 

Chanel

 

 

4 – OS MAIS VARIADOS TIPOS DE CHAPÉUS

Para e pensa em todos os nomes de chapéu que você possui na sua memória… vai por mim, as passarelas de outono dobraram tudo isso. De baldes à caçadores de veados, fedoras à toucas de natação e gorros. Parece que realmente tem espaço para todo mundo, né?

Dior

 

Nina Ricci

 

Louis Vuitton

 

5 – A bolsa transpassada total anos 70

Hedi Slimane causou polêmica ao entrar na Celine (sim, sem acento) porém, parece que agora ele se encontrou na maison. Revisitando os arquivos da Grife, Hedi nos trouxe um canfona chic, um antiquado que choca e que além de tudo, se mostrou muito interessante, ainda mais pela redenção que trouxe de volta, com força máxima as bolsas com alças compridas da era dos anos 70, assim como usava a burguesia francesa. Com o objetivo de deixar as mãos livres, como pede a praticidade, vamos às melhores opções:

Celine

 

Givenchy

 

Michael Kors

 

E aí, o que acharam do que nos aguarda, hit ou flop? Comenta aí!

Até o próximo…

XOXO




Compartilhe:

0 Comentários

05
Mai

Chanel apresenta a primeira coleção com Vivienne Viard por trás

Anthony Harvey

 

A falta de Karl Lagerfeld no mundo da moda é indiscutível, porém, analisando a nova coleção Cruise da Chanel, podemos afirmar que Vivienne Viard, que era braço direito do Kaiser, fará um ótimo trabalho por trás da marca.

Não foi coincidência que Vivienne escolheu uma estação de trem para apresentar o show, uma das maiores paixões de Coco. Na verdade é algo bem simbólico e a Maison investiu em uma moda prática e utilitária.

 

A VOLTA DA ALFAIATARIA

Parece que o mundo se cansou um pouco da moda streetstyle e decidiu saudar o passado e olhar novamente para como as antigas casas faziam moda, resultando pela troca da bermuda ciclista que foi hit, por uma bermuda de alfaiataria, clean e fresh como pede uma coleção resort.

 

 

O TWEED DESCOLADO

Não é nenhuma novidade que o tweed é peça obrigatória nas coleções da Chanel. Reinventado inúmeras vezes, dessa vez ele apareceu combinado com jeans, da forma mais jovial e moderna possível. Já os casaquetos foram apresentados da forma mais utilitária possível, com vários bolsos.

 

CORES VIBRANTES E A EXPLOSÃO ROSA

A nova estilista da Chanel recuperou o tom nos maxicasacos e trench coats. As botinhas bicolores de cano baixo agregaram diversão ou classicismo ao look, dependendo da cor. As pochetes continuam com seu espaço no conjunto, porém, dessa vez apareceram bem menores, praticamente como cintinhos que servem para marcar a silhueta. Os casacos de cores vibrantes apareceram combinados com as bermudas de alfaiataria.

 

OS VESTIDOS COM BABADOS DOMINARAM                               

A primeira parte do desfile foi preenchida com cores sóbrias e saturadas, calças largas e os vestidos com maxibabados em tecidos fluidos, representando um romantismo moderno. Alguns laçarotes também apareceram na passarela, como um esperto truque de styling.

 

Comenta aí o que acharam do novo desfile da Chanel, sendo o primeiro coordenado por Vivienne Viard.

Até o próximo…

XOXO




Compartilhe:

0 Comentários

29
Mar

O olhar de Rei Kawakubo e a importância da Comme des Garçons

Aos 76 anos, dona de um pensamento visionário através do intelecto, Rei Kawakubo não é só uma criadora excepcional, com 30 anos de mercado através de sua grife Comme Des Garçons ela segue muito radical, através de sua silhueta quase improvável ela ainda carrega a essência pela qual ficou conhecida: a antimoda.

Dita como ‘’a provável mais importante designer de moda do mundo’’ pelo jornal The Guardian, ela também foi a segunda estilista viva a ganhar uma retrospectiva de sua obra no Metropolitan Museum of Art, há dois anos (homenagem que apenas Yves Saint Laurent teve em vida). Com um olhar sempre surreal das proporções, a japonesa, que raramente dá entrevistas, comentou recentemente a Vogue Inglesa que está cansada, que possui muitos funcionários para ordenar e que se fosse sozinha, já teria parado.

Casada desde 1992 com Adrian Joffe, que é seu porta voz toda vez que ela precisa falar com alguém que não fale japonês, ela cria e molda seu trabalho através de um talento conceitual que resultou em uma marca que hoje vale 220 milhões de dólares.

Foi através dessa técnica surreal, que mistura uma silhueta dos anos 1700 com um xadrez grunge, que essa artista visionária (cuja não gosta de ser chamada assim e já afirmou que moda não é arte) conquistou o título de antimoda nos anos 80, pois nunca seguia a moda da época – ou de época alguma – e fez o que menos queria: revolucionou a nossa forma de olhar para a moda, o corpo, a realidade e o mundo em si, seja pela proporção não usável de seus ‘’vestidos’’ ou pelas criações de peças que não sei se podemos chama-las de roupas.

Rihanna usando criação de Rei Kawakubo no MET 2017

Talvez seja ironia do destino, porém, hoje ela não perde uma temporada de Paris e é sempre um dos desfiles mais comentados da semana. Submetida a um talento que clama mais do que um senso comum, a pequena japonesa, com um gigante cérebro, sempre vestida de preto, Rei Kawakubo fez/faz história à frente de seu tempo e esperamos ansiosos pelo o que ela ainda tem a fazer.

Comenta aí o que você acha de Rei Kawakubo e a Comme des Garçons!

Até o próximo…

XOXO




Compartilhe:

0 Comentários

13
Mar

Meninos vestem rosa!

Aproveitando todas as atrocidades e bizarrices que está acontecendo nesse novo governo (cujo não me representa!), hoje vim trazer algumas idéias de looks masculinos para a gente se inspirar, e todos têm como principal composição, a cor rosa! <3

Não faz muito tempo que a Pantone divulgou o rosa millenial como cor do ano (2017, se não me engano) e a cor veio para ficar. Ela aparece em diferentes tonalidades, porém segue firme no closet masculino.

Aproveitando que o verão continua firme e forte, e fazendo uso daquele shorts de academia que bombou em looks bem montados no streetstyle, chegou a sua hora de tentar. A composição desse look normalmente atende a ocasiões mais casuais. Também é hit de fashionista combinar o rosa com o vermelho e um bom ugly shoes para arrematar o look final.

O listrado (e o xadrez) serão trend no inverno 2019, porém você já pode começar a compor seu look a partir de agora… usando uma calça de sarja listrada combinada com uma t-shirt over rosa, por exemplo.

Outra forma muito legal de usar o rosa é brincar com o ponto de cor. Ao invés de você partir da cor para montar o look, use-a como destaque em algum acessório, além de ser super ousado e moderno, também é muito chic!

O neon também segue firme. No inverno, investir em gola alta é certeiro, se for um moletom com uma pegada street off-white, melhor ainda. O neon foi o responsável por ser ponto de partida de coleções anteriores e parece que ele ainda vai aparecer nessa temporada.

O monocromático é uma das formas mais clean e fashion de usar essa trend. Além de ser super moderno e sofisticado ele traz clareza ao look. Atente-se ao aos acessórios, eles não devem brigar com o look e sim completa-lo.

Bom, por hoje é isso! O que acharam dos looks? vocês gostam de usar rosa também? Comenta aí!

Até o próximo…

XOXO




Compartilhe:

0 Comentários

30
Jan

Tendências masculinas inverno 2019/20 segundo as semanas de moda

Bom, agora que as semanas de moda ”acabaram” (jajá começa tudo de novo) chegou a hora de reunirmos as melhores partes e trazer o feedback do Garotos Urbanos sobre quais serão as maiores tendências para o inverno 2019/20.

ROUPAS BICOLOR

Balmain Winter 2019/20
Biuu Winter 2019/20
Acne Studio Winter 2019/20

Podemos chamar essa tendência até de algo um pouco ”esquizofrênico” porém a técnica aparece de foma belíssima, em desfiles como Balmain, Acne Studio, Biuu e Off-White, seja em casacos dupla face ou em jaquetas jeans misturada com alfaiataria, como na Dior que veio com a alfaiataria virada para o lado de fora, porém, de forma impecável.

DOUDOUNE

Vetements Winter 2019/20
Moncler

Sabe aquele casaco bem fofo, de forma acolchoada, conhecido como Doudoune? Pois bem, ele apareceu horrores durante os desfiles masculinos da semana de moda. Grifes como Vetements, Moncler (que faz as doudounes mais impecáveis possíveis) e Dries Van Noten – que trouxe a doudone num terno- apresentaram o tecido em suas coleções. Eu, particularmente não sou grande fã, porém não vou dizer que não vou usar, principalmente essa prateada, bem futurista da Moncher, vai que pago a lingua, né??

CORES FORTES – NEON

Craig Green Winter 2019/20
Craig Green Winter 2019/20
Craig Green Winter 2019/20

Grifes como a Craig Green é uma das que melhor representa a moda do neon, que todos já estão cansados de saber e ver como ela pegou. De uma forma quase nada usual, a grife trouxe peças estruturadas, futuristas e que podem, sim, despertar desejo. Seja pela sensação que ela causa ou pelas peças nada comerciais que usam de uma tendência street para criar.

De uma forma mais usual, porém ainda muito chamativa, a tendência também apareceu em outros desfiles, em cores como o laranja.

LET IT DRAG – A ENTRADA DO GUARDA ROUPA FEMININO PARA O MASCULINO E O FIM (AMÉM) DO HOMEM MÁSCULO E VIRIL

Thom Browne Winter 2019/20
Art School Winter 2019/20

Charles Jeffrey Loverboy Winter 2019/20
Charles Jeffrey Loverboy Winter 2019/20
Tom Browne Winter 2019/20

Tom Browne Winter 2019/20
Louis Vuitton Winter 2019/20
Louis Vuitton Winter 2019/20

Seja pela cintura marcada na alfaiataria de Thom Browne e ternos que parecem vestidos (ou vestidos que parecem ternos?), as (muitas!) saias plissadas da Louis Vuitton e outras grifes ou a total androginia de Charles Jeffrey Loverboy, está bem explicito a influencia do closet feminino no closet masculino. Também fica claro o fim daquele homem viril e másculo, o que é extremamente progressista e sensível, pois de forma totalmente direta a moda está quebrando o tabu do homem com uma masculinidade frágil onde ele se encontra totalmente limitado em suas escolhas, e eu estou amando. O futuro está aí, dando um tapa na cara dos preconceituosos e mostrando que esse é o caminho.

MUITA BOLSA

Louis Vuitton 2019/20

Louis Vuitton Winter 2019/20
Fendi Winter 2019/20
Fendi Winter 2019/20
Dries Van Noten Winter 2019/20

Foi-se o tempo em que nós, meninos, usávamos apenas mochila e pasta de escritório. Chegou a nossa hora de se divertir (slay bitchesss!). Com criações ultra desejáveis, como a bolsa neon da Louis Vuitton que acende no escuro, ou a clássica Baguette da Fendi, as bolsas entraram real para o mundo e o guarda roupa masculino. Bolsas tipo speed da Vuitton, pochetes, MUITA slim bag como na Dior e Hermes criaram o entusiasmo de quem assistia, visando um futuro muito mais inclusivo e fashion para os meninos. Definitivamente é o fim da bermuda e chinelo e terno preto alinhado com uma clássica pasta.

Agora, mais do que nunca, com o mundo caminhando para onde está, em situações políticas que testam sua esperança, a moda, como maior produtora de arte da atualidade, tem a responsabilidade de se posicionar e aparentemente, ela está do lado certo. Agora, só posso dizer que estamos extremamente ansiosos para o que está por vir.

XOXO




Compartilhe:

0 Comentários

23
Jan

A Maria Antonieta moderna na Chanel Haute Couture

Getty Images

O dia era de neve na terça feira em Paris (dia que regradamente acontece os desfiles da Chanel na temporada de Alta Costura), mas parece que karl Lagerfeld além de um espetacular designer, agora também prevê a temperatura e, lógico, faz o contrário. Na temporada passada, em meio á chuva, o Kaiser trouxe uma praia para o cenário da Chanel – aqui – dessa vez, em meio a neve espeça, ele nos apresenta uma locação bem tropical com altos pinheiros numa coleção que foi batizada de ”Villa Chanel” longe do clima real que estava em Paris.

O primeiro bloco de looks do desfile é marcado por um mood mais romântico (percebe-se pela trilha sonora) onde os looks a lá francesa vem primeiro. Logo depois a trilha se transforma em algo mais dramático, pesado entrando em uma simbiose perfeita com os looks mais estruturados, em saias bufantes e cortes geométricos.

As peças eram bem alinhadas, com bastante pluma, pedraria, bordados e florais traduzidos em looks volumosos inspirados no século XVIII. Os acessórios conversavam diretamente com os looks, em brincos de brilhantes e sapatos altos tipo Mule.

O truque de Styling mistura, na medida, o clássico e o moderno (despertando aquele desejo que só a Chanel sabe criar, que passa da neta para a avó, da mulher mais clássica até a mais moderna, conversando com todas elas e despertando a sensação de desejo para a famosa mulher Chanel) como em um look branco total drama de saia longa de tule e plumas com uma mini jaqueta de couro estilo motoqueiro.

No final do desfile, a noiva da Chanel aparece de maiô cintilante, com uma espécie de touca capacete que dava sustentação a um longo véu.

Para a surpresa de todos os 600 espectadores, Karl Lagerfeld não saiu para agradecer e sim sua braço direito Virginie Viard, alimentando ainda mais o boato de aposentadoria.

No geral foi um desfile bem completo, em uma estética bem Chanel, onde dessa vez o tweed apareceu reinventado em lã. Como foi bastante comentado em outros desfiles, parece que a estética francesa e a estética italiana estão se misturando (seja no comportamento, no corte, costura etc) e Karl cinematograficamente nos levou a uma clássica vila italiana. Agora, vamos aguardar quais serão os próximos passos de Lagerfeld na Chanel, ou, quem sabe, fora dela.

Até o próximo…

XOXO




Compartilhe:

0 Comentários

15
Jan

O Terror real da Prada na #MFW

Um pouquinho atrasado, mas com aquela vontade de falar sobre o que vale a pena, começou a Semana de Moda de Milão, cuja, está se tornando minha fav. Hoje vamos falar sobre o desfile da Prada.

Com uma atmosfera de filme de terror (vale lembrar que o desfile teve inspiração em filmes de terror B – para fazer uma alusão aos tempos reais – tendo como principal, a obra Frankenstein – a Prada trouxe um desfile incrível na Fashion Week de Milão. Com pegada política (veremos muito essa abordagem por aqui) como foi dito pela própria Miuccia, em entrevista. O desfile masculino da grife italiana foi redondo em toda sua apresentação.

A ideia de romantismo e força prevalece em looks andróginos (teve feminino desfile também, em homenagem a criadora da obra de terror, visto que ela teve que lançar o livro anonimamente, pois no século 19, mulheres não podiam lançar livros)

Em peças militares (que continuam em alta), utilitárias (com vários bolsos ”fora do lugar”) e um truque de styling fabuloso, a grife questiona a representação da masculinidade (nota-se pela falta de modelos ultra masculinos e viris, na passarela, o que está caindo bastante, fato que se comprova pela mesma falta no desfile da Versace, famosa por modelos ultra esculpidos e desejáveis)

O set tinha luzes de laboratórios e raios estampados em algumas peças, interligados em um coração de tricô que vem no styling também. Com muito preto, trazendo o ”novo vampiro” e cores com personalidade, o que mais chama atenção são os três cintos entrelaçados, o chamado ”monster shoe” e toda a forma que o desfile se apresenta, seja por cardigãs em cima dos paletós, ou por jaquetas por dentro da calça.

Pode-se afirmar que a #MFW começou com pé direito, por toda sensibilidade que já conhecemos por trás da diretora criativa e herdeira da marca. Em meio a tanto caos político que está acontecendo em todo o mundo, a moda, sendo a maior expressão de arte, no tempo pós moderno, não poderia deixar de estar inserida, e fazer, no mínimo, um discurso plausível através de suas apresentações, e logicamente, Miuccia faz isso com maestria.

Até o próximo…

XOXO




Compartilhe:

0 Comentários

07
Nov

Tendências de shorts masculino para a primavera-verão 2019

”O verão está chegando e pra praia desce geral” se depender do clima de São Paulo, dezembro e janeiro não será de tanto sol assim, todavia (meu DEUS ME LIVRE A PARTE) vamos aos shorts masculinos que bombarão no tão prometido verão 2019.

 

SHORTS JEANS 

O jeans faz parte do vestuário há muito tempo. Camisas, calças, bermudas e até calçados contam com o material para a a produção. No verão não seria diferente (tome cuidado com peças muito coladas pois o jeans assa que é uma beleza). Opte por peças curtas e de lavagem clara, o destroyed ainda é tendência forte, então pode se jogar. Caso vá a praia, escolha outro tipo de tecido, o jeans pode incomodar, principalmente se for entrar no mar, né?

 

SHORTS ESTAMPADO

Os shorts estampados são outra grande pedida para o verão 2019. Nunca se esqueça que estamos falando da época mais quente do ano (ou deveria ser), então a melhor escolha sempre será peças leves, com caimentos proporcionais e além de tudo, confortáveis. O floral é clássico ( e até meio boring) porém com ele não há chances de errar. Caso queira sair da zona de conforto e arriscar um pouquinho, as estampas quadriculadas estão ganhando bastante força.

 

MINI SHORTS

Louis Vuitton Men FashionShow

Bom, chegamos ao meu favorito. Os mini shorts, aqueles bem curtinho mesmo, são forte tendência para a estação cuja só pensamos nos bons drinks que queremos tomar. Com destinos que vão desde o Nordeste brasileiro a Hamptons, o mini shorts serve como dress code de diversas situações. Caso a pedida seja algo formal, combine um bom shorts de alfaiataria com um blazer de linho (como na primeira foto. Só troque o mocassim por um tênis branco, ou preto, que seu look ficará muito mais moderno). Para o happy hour o look monocromático fica incrível, o rosa millennial e o amarelo são ótimas escolhas para compor um look  minimalista, além de ser a cara do verão! 

 

SHORTS RESORT

Para finalizar, vamos aos shorts resorts. Famosos que ganharam esse nome ainda este ano, o shorts resort nada mais é uma peça que faça referência ao tropicalismo (quer mais Brasil que isso?) seja nas padronagens, estampas ou cores. O rosa permanece prevalecendo (visto que a Pantone já divulgou a paleta de cores 2019 e 2 tons de rosa estão na cartela) então é só achar a peça que mais conversa com seu estilo próprio para rrasar nas ruas quentes de verão!

O que acharam? Comenta aí!

Até o próximo

XOXO




Compartilhe:

0 Comentários