04
Out

Vamos à praia com Chanel…

Dia 2 de outubro, última terça feira, foi um dia cinzento em Paris, parecia que a cidade estava de luto pela perda do ídolo, o cantor Charles Aznavour, assassinado na noite anterior.

No Grand Palais, Karl Lagerfeld trouxe um cenário bem ensolarado criando uma praia paradisíaca com direito a ondas e areia branca. O cenário era uma reprodução fiel das Ilhas Frisias alemãs.

Essa foi uma das coleções mais completas e comerciais desenvolvidas por Karl, ele criou o que conhecemos por ”peças desejo” produtos com criatividade e alto potencial de vendas.

Houve uma quebra de códigos nos antigos arquivos da Chanel, onde o tweed dos tailleurs foram transformados em bases para minissaias e blusões, as correntes das bolsas viraram alças de vestidos. O pretinho básico ganhou tecidos fluidos, e babados, tailleur em tons pastel, bem mais jovem , trazendo versatilidade pro desfie.

As modelos descalças segurando os calçados (da forma mais elegante possível) foi, sem dúvidas, algo que me chamou muita atenção no desfile. Como de se esperar, Kaia Gerber estava com um look maravilhoso (se liga Saint Laurent).

Os acessórios estavam o mais fun possível, uma bolsa bola bicolor, igual a bola de praia mesmo, sabe? a melhor mistura de cultura pop e alta costura que Lagerfeld poderia trazer para as clientes Chanel.

Até o próximo…

XOXO

 




Compartilhe:

0 Comentários

07
Mar

O cafona chic: A genial inversão da Balenciaga

Mais um PFW terminou, e dessa vez, a Balenciaga que dominou a semana de moda parisiense. Com uma passarela de chão branco, remetendo a neve, numa coleção inspirada em snowboard, outwear e frio extremo, além de uma montanha de 20 metros, toda grafitada… Assim começou o desfile da Balenciaga!

 

Foi a primeira vez, que o estilista Demna Gvasalia, apresentou uma coleção mista, masculino e feminino, além da parceria da marca com a PMA (Programa Mundial de Alimentos) mostrando uma série de peças com o logotipo da organização, e a locação – ao norte de Paris- já era reflexiva por si só, pois os convidados tinham que passar perto da maior área de refugiados da cidade, refugiados assim como o próprio estilista, que teve que sair de Georgia com a sua família, quando criança, por conta da guerra com a Russia.

Os looks, foram, no mínimo, marcantes, vestidos curtos com animal print de zebra e jaquetas com ombros marcados, assim começa a definição de cafona chic da coleção. Além disso, o desfile contou com parkas gigantes, e volume é a palavra chave para essa coleção 

”O gosto, o mal gosto, o gosto burguês” diz Demna, que ao meu ver, ele realmente zomba da moda burguesa, porquê, como eu disse, no título do post, a coleção foi marcada, principalmente, por aspectos cafona, como as fendas bi-laterais, num vestido comprido de zebra. E Demna faz isso com a consciência de que esses cortes e ”tendências” serão copiadas no mundo todo, porém ele é tão genial, que a construção das peças eram impecáveis, como a construção 3D em algumas peças, cujo ele fez o scan no corpo, passou numa impressora 3D, pegou o tecido(tweed, lã) e moldou em cima de uma base foam super leve, e o resultado foi esse da foto a cima.

Outra coisa que me chamou MUITO atenção no desfile, foi o casting: Composto por modelos com verrugas, sem sobrancelha, infelizmente, todos magros, porém, para um desfile em Paris, em uma grife de peso como a Balenciaga, acho que estamos caminhando para o fim da perfeição e do maldito padrão, na moda! Amém, né?

A medida que o desfile foi acontecendo, os looks foram ganhando volume e quantidade; alguns deles chegaram a ser compostos por 5 peças, apenas na parte de cima ( sabe aquele jeitinho brasileiro de colocar uma peça em cima da outra, quando está frio? então, foi exatamente isso)

Sem sombra de dúvidas, as parkas e o uso do xadrez escocês foram  o ápice de um desfile maravilhoso, cheio de conceito por traz do show.

este é meu fav de todos!!!

 

E aí, o que acharam do desfile? Comenta aí!

XOXO

 

 

 

 

 

 




Compartilhe:

0 Comentários

11
Fev

Como os fashionistas enfrentaram o primeiro dia congelante da #NYFW

Aqui no Brasil, nessa época do ano, há lugares que chegam a 40, 42 graus. Em NY, essa época, chega a bater – 20 graus, e é justo nessa época que ocorre a NYFW. Pensando  no quesito conforto, não é fácil você fazer uma combinação legal e não passar frio, então aqui está as composições dos fashionistas que estão comparecendo a semana de moda:

Até o próximo…

XOXO

 




Compartilhe:

0 Comentários