16
Ago

A repaginada do tie-dye. Melhor do que nunca

Sem dúvidas você conhece o tie dye e, numa espécie de DIY, já deve até ter se divertido um pouco com as tintas e cores. O que talvez você ainda não saiba é que ele invadiu as grandes grifes e mais ainda, sua história é bem antiga…

Tudo começou como forma de ato politico. A década era de 1970 e a subcultura hippie, que defendia uma maior inclusão social, luta contra o racismo e comunhão com a natureza, ganhava uma maior proporção, dando vazão a personalidades como Janis Joplin e Jimi Hendrix, cujos se tornaram grandes percursores dessa tendência, que saiu do campo politico e foi parar nas passarelas.

A trend teve seu ápice na década do Woodstock, seu declínio veio nos anos 90 e nessa nova era, seu retorno. Uma repaginada tão sensível e bem trabalhada que acabou invadindo as maiores passarelas das semanas de moda, indo muito além de uma t-shirt customizada.

O conjunto de tie-dye surgiu dominante, ele apareceu em desfiles como Dries Van Noten, Pacco Rabanne e Chloe, seja em cores complementares ou em uma especie de color blocking. Combine as peças com acessórios mais pesados, como os creapers ou coturnos (aquele bem grunge), trazendo um mix de referências e culturas,o que é a cara da sociedade pós moderna. Entre as celebridades hoje adeptas temos Gigi Hadid, Kendall e Kylie Jenner, Paris Jackson, Chiara Ferragni, entre outras.

e eu, hahaha <3

O que mais chama atenção é que, dessa vez, o grafismo não aparece limitado em camisetas, caças, blusas e até ternos estão sendo confeccionados a partir dessa técnica, é só escolher aquela peça que mais combina com sua personalidade ou brincar com os conjuntos.

E aí, o que você acha do tie-dye? Comenta aí!

Até o próximo…

XOXO




Compartilhe:

0 Comentários

11
Jun

O show de horrores da Moschino!

O terror não está famoso apenas nos cinemas, com diretores de renome como Jordan Peele e Stephen King e longas premiados como ”Nós” e ”Corra”, essa tendência também dominou as passarelas, onde Jeremy Scott, apresentou uma ”assustadora” coleção na gripe italiana, Moschino. Para o estilista mais pop da cena, não há regras e dessa vez ele provou que essa teoria é real.

Talvez a temporada Cruise – ou resort – não tenha sido a melhor escolhida para apresentar a coleção que foi desfilada em Los Angeles, no Universal Studios que teve a abertura reencenando o clássico “Pânico” que conta com a participação de Drew Barrymore.

O primeiro bloco do desfile é o que menos me chama atenção, com looks que me parecem figurinos e particularmente, não me agrada muito. Já o segundo e terceiro bloco nos apresenta formas volumosas, sapatos pesados dando ênfase no corturno, além de uma homenagem aos clássicos, com personagens de O Iluminado servindo de padronagem.

Os acessórios, como sempre, dominam a passarela e são o que fazem nossa respiração ficar ofegante. Com bolsas que eu facilmente poderia afirmar terem sido feitas pelo nosso brasileiro Luan Zumbi, os acessórios são o ponto chave da coleção, mostrando todo o poder criativo de Jeremy Scott que assinou a coleção inteira.

E aí, o que vocês acharam dessa coleção? Eu já quero várias peças hahahah e como o trend setter Jeremy Scott disse ” Para nós, é Halloween o ano todo”

Comenta aí o que você achou!

Até o próximo…

XOXO

 




Compartilhe:

0 Comentários